Dor no pé do corredor (Sesamoidite)

Pé Plano Infantil
outubro 22, 2019
O Pé Reumatóide
abril 22, 2020

Existem inúmeras causas possíveis para dor no pé do atleta corredor. Uma das mais comuns, que leva esse paciente ao consultório, com queixa de dor na região anterior do pé, mais precisamente sob a cabeça do primeiro metatarsal na articulação do dedão (hálux) é a sesamoidite.

Causas de dor no pé do corredor:

Os sesamóides são ossos articulares, que ficam inseridos nos tendões fornecendo apoio e reduzindo a pressão sobre os restantes tecidos, fornecemdo um fulcro para a movimentação articular. Existem vários ossos sesamóides , como a patela, maior osso sesamóide do corpo, e os sesamóides do pé.

Sesamoidite - Dor no Pé do Corredor

Figura demonstrando os ossos sesamoides sob o primeiro metatarsal, nos pés. A esquerda um desenho representando os dois sesamoides. À direita uma imagem de raios X demonstrando como esses ossos aparecem no exame.

Durante a fase de propulsão da marcha, último instante em que o pé empurra o solo para impulsionar o corpo a frente, esses pequenos ossinhos funcionam como uma polia que aumenta o braço de alavanca dos tendões nele inseridos e ajuda na impulsão do pé.

Sesamoidite | Dr. Rodrigo Macedo

Última fase da marcha, a propulsão. Nesse momento os sesamóides estão em contato com o solo recebendo máxima pressão do corpo nessa região.

Quando, durante essa fase da marcha, a pressão é excessiva ou os impactos repetitivos sem a devida proteção, a energia que passa por essa região pode levar a inflamação destes ossículos (sesamoidite) ou até mesmo a sua fratura. Existem fatores que podem acentuar esse aumento de pressão na região, podendo desencadear os sintomas, são eles:

FATORES INTRÍNSECOS:

FATORES EXTRÍNSECOS:

  • Sobrepeso
  • Treinos excessivos
  • Calçados inadequados
    • Salto Alto
    • Excessivamente Flexíveis
  • Aterrisar o pé no solo com o antepé
Sesamoidite - Dor no Pé do Corredor

A esquerda paciente aterrissando com o calcanhar e a direita, a paciente com o centro de gravidade voltado para frente aterrissando com o antepé. Dessa segunda maneira existe uma concentração de pressão sobre os sesamóides, que pode desencadear inflamação e dor local.

Nas fases iniciais o quadro costuma ser caracterizado por dor localizada na região plantar do pé, bem abaixo do da base do hálux (dedão). Que pode ser desde de leve intensidade, apenas desencadeada por exercícios até muito intensas a ponto de incapacitar o indivíduo para deambulação.

Paciente realizando a palpação do local dolorido com o dedão da mão

Paciente realizando a palpação do local dolorido com o dedão da mão. Localizando exatamente a região na qual estão os ossos sesamóides.

O diagnóstico comumente é realizado através da coleta detalhada da história associado a um exame físico minucioso do paciente. A realização de exames de imagem como os de raios X e de ressonância magnética podem auxiliar no detalhamento da lesão, através da demonstração um padrão inflamatório, edema no osso afetado, e visualização das lesões já estabelecidas.

Ressonância magnética do antepé

Imagem de ressonância magnética do antepé, demonstrando na seta branca, edema, liquido, no sesamóide medial do paciente.

O tratamento é baseado na identificação da causa associado a modificação de alguns hábitos e redução dos fatores de risco. A maioria dos pacientes evolui bem com medidas conservadoras, ou seja não cirúrgicas, sendo as principais as seguintes:

Medidas não Cirúrgicas para Tratamento da Sesamoidite:

  • Redução do uso de saltos
  • Uso de calçados de solados mais firmes
  • Uso temporário de bota ortopédica removível
  • Ajuste da carga dos exercícios
  • Perda de peso
  • Mudança de exercícios (retirar exercícios de impacto)
  • Fortalecimento dos músculos intrínsecos do pé
  • Alongamento da cadeia posterior
  • Analgésicos e anti-inflamatórios

Entretanto, uma pequena parte dos pacientes pode não responder a estas medidas, necessitando de algum tipo de intervenção cirúrgica com o intuito de retomar as atividades. Dentre as mais comuns, está a sesamoidectomia, ou seja, ressecção do osso sesamoide afetado associado ao retensionamento dos tendões flexores do hálux.

Atualmente esse procedimento pode ser realizado de maneira minimamente invasivo, através de uma pequena incisão local e realização do procedimento que apresenta altas taxas de sucesso.

Sesamoide após ter sido ressecado completamente

Imagem demonstrando um sesamoide após ter sido ressecado completamente.

Você apresenta sintomas de sesamoidite?

Procure um especialista de confiança. Quanto antes os fatores causais forem identificados e isolados, menores as chances de progressão e manutenção dos sintomas.


FAQ

1. Como tratar dor em baixo do dedão do pé?

Uma das causas de dor em baixo do hálux, dedão do pé, é a sesamoidite. A identificação dos fatores causais associado ao uso de calçados adequados, costumam ser as principais medidas.

2. Sesamoidite tem cura?

Sim! Através de medidas que reduzam a pressão sobre esses ossos, pode-se reverter completamente os sintomas. Nas fases mais avançadas existem procedimentos que podem ser realizados no intuito de aliviar os sintomas, tais como a sesamoidectomia parcial ou total.

WhatsApp