Tendinites do Tornozelo e Pé
setembro 11, 2018

Woman feet running on road closeup on shoe

Dor no pé do corredor (Sesamoidite)

Várias são as possíveis causas de dor no pé do atleta corredor. Uma das causas que comumente leva esse paciente ao consultório, com queixa de dor na região anterior do pé, é a sesamoidite.

Os ossos sesamóides são estruturas que, durante a fase de propulsão da marcha, último instante em que o pé empurra o solo para impulsionar o corpo a frente (Fig 01), funcionam como uma polia que aumenta o braço de alavanca dos tendões nele inseridos.

Fig 01: Fase de desprendimento do pé ao solo

Quando, durante essa fase da marcha, a pressão é excessiva ou os impactos repetitivos sem a devida proteção, a energia que passa por essa região pode levar a inflamação destes ossículos (sesamoidite) ou até mesmo a sua fratura (fratura por estresse).

O quadro clínico nas fases iniciais costuma ser caracterizado por dor localizada na região plantar do pé, bem abaixo do da base do hálux (dedão). Que pode ser desde de leve intensidade e desencadeada por exercícios até muito intensas a ponto de incapacitar o indivíduo para deambulação.

As principais causas estão relacionadas a fatores intrínseco ou extrínsecos.

FATORES INTRÍNSECOS:

• Pé Cavo (Fig 2)

• Deformidades dos antepé

• Encurtamento da cadeia posterior

• Marcha pronada

FATORES EXTRÍNSECOS:

• Sobrepeso

• Treinos excessivos

• Calçados inadequados (saltos altos)

• Forma de aterrissar o pé ao solo (Fig3)

Fig 2: Pé cavo acentuado, que aumenta a pressão e sobrecarga na região anterior do pé.

Fig 3: A esquerda paciente aterrissando com o calcanhar e a direita, a paciente com o centro de gravidade voltado para frente aterrissando com o antepé.

O diagnóstico é realizado através da coleta detalhada da história, associado a um exame físico minucioso e realização de exames de imagem como os de raios X e de ressonância magnética. Esse último costuma ser o mais preciso dos exames, demonstrando um padrão inflamatório através da presença de edema no osso afetado.

O tratamento é baseado na identificação da causa associado a modificação de alguns hábitos e redução dos fatores de risco, tais quais: Redução do uso de saltos, ajuste da carga dos exercícios, perda de peso, mudança de exercícios associado fortalecimento dos intrínsecos e alongamento da cadeia posterior, uso de bota ortopédica removível ou calçados de solado rígido, analgésicos e anti-inflamatórios. A maioria dos pacientes evolui bem com medidas conservadoras, entretanto, uma pequena parte pode não responder a estas medidas, podendo necessitar de algum tipo de intervenção cirúrgica com o intuito de retomar as atividades.

WhatsApp: (11) 96057-8247